Empresa recolhe 58.000 testes de gravidez após numero anormal de “falsos positivos”

Cerca de 58 mil testes de gravidez estão a ser recolhidos após apresentarem um número anormal de “falsos positivos”! Os testes da marca Clear & Simple (iguais ao da imagem acima) eram comercializados no Reino Unido e estavam a apresentar números anormais de “falsos positivos”. Ou seja, o teste de gravidez indicava que a mulher estava grávida quando na verdade ela não estava.

A Agência Regulatória de Produtos de Saúde do Reino Unido (MHRA) anunciou a recolha dos testes nesta quinta-feira (04/10).

O fabricante do produto é a empresa chinesa Guangzhou Wondfo Biotech e eles explicaram qual foi a falha que causou os “falsos positivos”. De acordo com o fabricante, o comprimento de uma das tiras reagentes internas dos testes estava errada, o que fazia com que no resultado aparecesse positivo, ao invés do negativo.

Agora, e sobretudo se nos lê no Reino Unido, vejam lá se fez um destes testes, ou tem algum em casa, pertencente ao modelo: DM-102, Lote: DM10220170710E com validade até janeiro de 2020. Se sim, não acredite nos seus resultados. Devolva-o à farmácia!

Médicos encontram tartaruga morta na vagina de paciente

Os médicos de uma urgência em Arona, Tenerife (Ilhas Canárias, Espanha), ficaram boquiabertos com uma descoberta ao tratar, na noite de sábado (15/9), uma paciente britânica que mora na ilha.

A mulher, cuja identificação não foi tornada pública, procurou o hospital na localidade de El Mojón queixando-se de fortes dores na zona genital. Os médicos examinaram-na e descobriram na vagina da paciente uma pequena tartaruga morta.

A Polícia Nacional foi chamada, e a mulher contou que na noite anterior havia saído com um grupo de compatriotas para beber, segundo relato do jornal “El Día”. Ela afirmou não ter a menor ideia de como o animal foi parar à sua vagina.

A paciente foi tratada de infecção e teve alta.

Ficámos sem saber o tamanho da tartaruga.

Jovem sofre amputação de parte do polegar por causa do vício de roer unhas

Courtney Whithorn começou a roer unhas no ensino secundário quando sofria bullying. O mecanismo de defesa acabou por virar um vhábito que se transformou em vício. Em 2014, a inglesa que mora em Gold Coast (Austrália) chegou a arrancar toda a unha de um dos polegares.

Logo depois disso, ela notou que o dedo começou a escurecer. Mas Courtney conseguiu esconder o problema dos familiares e amigos.

Até que em julho deste ano, a inglesa, de 20 anos, foi diagnosticada com um tipo de cancro no polegar que tem ligação ao vício de roer unhas e aos traumas por ele provocados.  A estudante universitária foi submetida a quatro cirurgias, contou reportagem do “Sun”. Mas elas não deram certo.

Recentemente, Courtney teve que amputar parte do polegar direito para deter o avanço do cancro.

“Quando descobri que roer unhas era a causa do meu cancro, fiquei despedaçada”, contou a jovem. “Eu mantinha o polegar escondido com o punho fechado, pois não queria que ninguém visse, mesmo os meus pais. Até que resolvi mostrar este ano”, acrescentou ela.

Curiosidade: O vício de roer unhas – associado a quadros de ansiedade, stress e nervosismo – tem nome técnico: onicofagia.

Inglesa tem diariamente crises de soluços desde há 15 anos

A inglesa Natalie Aves tem 27 anos e desde os 12 convive com um problema: todo o santo dia ela tem pelo menos um ataque de soluços.

Recorrentes há 15 anos, os soluços não têm cura. A moradora de Londres (Inglaterra) já procurou vários médicos, que simplesmente não sabem como livrá-la do problema. Alguns dos ataques diários podem durar mais de 5 minutos.

“Eles começaram quando eu tinha 12 anos. Eu soluço pelo menos uma vez por dia. Um médico disse que pode ter ligação com ansiedade, outro disse que “engulo” muito ar”, disse a inglesa ao “Daily Mail”.

Natalie está a recorrer às redes sociais a fim de encontrar alguma luz ao fundo do tunel que a ajude a livrar-se dos soluços, que não têm hora para surgir e prejudicam a sua vida social. Ela postou no Twitter um vídeo em que aparece a soluçar em várias ocasiões para que o seu caso chame atenção de quem conheça uma forma de curá-la.

“Alguns amigos acham os soluços engraçados, outros pensam que não são verdadeiros. Há quem diga que estou possuída”, lamentou Natalie.

Os soluços são espasmos ou contrações involuntárias do diafragma. As causas vão de lesões e tumores à ingestão rápida de líquido ou sólido ou de comida picante. Casos crónicos são raros e muitos complicados de diagnosticar.

Mulher é a sua própria gémea

Taylor Muhl é a sua própria gémea. Isso mesmo. Parece esquisito? Sim parece. Mas saiba a história.

Tudo remonta ao inicio da gravidez da mãe de Taylor Muhl quando, sem ela saber, tinha dois ovos fertilizados no seu útero. Mas, em algum momento da gravidez, os dois fundiram-se, criando um feto com dois códigos genéticos completos, ou seja, duas vertentes completamente separadas de DNA. Essa é a definição de quimerismo. E esse é o caso de Tayloy Muhl.

Muhl tem dois sistemas imunológicos – o dela e o da sua irmã (“gémea”). O seu está constantemente a tentar-se livrar do sistema “estrangeiro”. Mas, claro, não pode. O resultado? Problemas autoimunes e surtos, bem como uma variedade de alergias. Muhl também tem dois fluxos de sangue e uma linha no centro do estômago, um lado da linha mais escuro do que o outro. O tom de pele mais escuro é o da sua “irmã gémea”.

Foto: Jim Jordan

Só recentemetente contou a sua história. Até porque só recentemente descobriu finalmente de que padecia “Durante mais de metade da minha vida eu nem sabia que tinha quimerismo. Disseram-me que eu tinha uma marca de nascença”.

Mas havia outros sinais também, como a “obsessão” de Muhl por ter uma gémea. “Aos seis ou sete anos de idade, eu perguntava à minha mãe a toda hora se eu era gémea. “Você tem certeza de que não teve outro bebé?” 

Quando Muhl estava no início da adolescência, ela começou a ficar doente muitas vezes e ninguém conseguia descobrir o porquê. Médicos após médicos tinham sempre a mesma resposta, “Nós simplesmente não sabemos.” “Eu comecei a ter problemas autoimunes. Sou muito sensível às comidas e aos medicamentos. Sou alérgica a picadas de insetos num lado do meu corpo, mas não no outro. O meu piercing no umbigo fica no lado da gémea e posso usar joias nele. Mas do meu lado, só posso usar ouro branco porque minha pele é muito sensível”.

Muitos anos depois, após extensivos testes, um médico finalmente descobriu: Muhl possui a rara condição de quimerismo. O quimerismo é raro em seres humanos, há registo de apenas 40 casos.

Mito desfeito! Pode-se engravidar através de sexo anal? Pode.

Nada de entrar em pânico, mas sim, é possível engravidar através do sexo anal. Pode acontecer 1 caso a cada 50.000 pessoas.

Quem o diz é o Dr. Brian Steixner, urologista da Jersey Urology Group, em Atlantic City. Ele disse à revista Men’s Health: ‘Alguém nos mentiu nas aulas de saúde do 9º ano.’
engravidarEle então revelou que nos tempos de estudante de medicina havia tratado uma mulher com uma condição rara chamada ‘malformação cloacal “.  Este problema de saúde explica-se basicamente pelo facto do reto, uretra e a vagina partilharem o mesmo canal, ou seja, não há uma separação dos três canais, conforme imagem ilustartiva.

Devido a isso, urina e fezes são drenadas apenas através de um canal.

No caso em concreto a paciente foi sujeita a uma operação que pretendia separar os canais. Mas nem tudo correu bem e manteve-se a ligação entre os dois órgãos.

Neste caso, o útero da mulher ficou ligado ao seu reto.

A mulher, ficou confusa ao descobrir que ela tinha ficado grávida. Fi então que disse aos médicos que ela só tinha feito sexo anal antes de engravidar.

“Depois de fazer uma série de exames e raios-X, determinou-se que ela ficou grávida ao fazer sexo anal”, disse Steixner.

O bebé acabou por nascer de cesariana.

Receba as últimas notícias insólitas via nossa página Facebook:

Massagista (de celebridades) ganha a vida mordendo os clientes!

massagem_moderUma massagista virou “celebridade” tudo por causa da sua técnica incomum: morder os seus clientes!

Aos 15 anos, a Drª Dot fez a sua primeira “massagem” nos bastidores de um concerto rock dos na altura dos recém criados Def Leppard. Nessa altura foi namorada de Joey Ramone.

Dorothy Stein, tem agora 48 anos, é de New Jersey e foi “batizada” de Drª Dot  pelo músico Frank Zappa nos primeiros dias da sua carreira quando ela usou as suas habilidades para ganhar bilhetes gratuitos para concertos e conhecer as suas estrelas do rock favoritos nos bastidores.

Desde então, a Drª Dot tem massajado – ou será “mordido” – uma lista impressionante de nomes famosos. Pela boca “massagem” dela já passaram nomes como Charlie Watts (o baterista dos Rolling Stones), que aliás insistiu para que ela começasse a cobrar pelos seus serviços, e também os restantes membros da banda (Mick Jagger incluído),  Kanye West, Lady Gaga, Katy Perry, Paris Hilton, Courtney Love, Sting, Ramones, David Bowie, Bruce Willis e até Simon Cowell, que já chegou a deslocar-se da Alemanha à Inglaterra apenas para a sua massagem relaxante…

Receba as últimas notícias insólitas via nossa página Facebook:

Algumas celebridades exigem uma abordagem mais ‘sensual’. A terapeuta diz que uma estrela rock (mulher) exige que ela massage toda a sua parte da frente, embora Dot acrescente: “Eu nunca mordo as mamas das pacientes. ‘

Dorothy teve as suas primeiras incursões nas mordidas terapêuticas aos cinco anos de idade, incentivada pela sua mãe ‘hippy’. ‘Ela queria que eu a massajasse, mas as minhas as mãos não eram fortes o suficiente, então ela não parava de dizer “Morde-me! Então, eu passei a fazer isso toda a minha vida “.

Dorothy Stein diz: “Eu queria entrar em espectáculos de graça e conhecer as pessoas que escreveram as letras que tocavam o meu coração. Desde então, a Drª Dot trocou os seus serviços de massagem por bilhetes para cerca de 3.000 concertos.

Dando massagens gratuitas ajudou a construir a sua reputação. Aproveitou o jeito e licenciou-se na área. Agora, quem quiser ser mordido/a por ela tem que pagar 102 libras (cerca de 130€ à taxa atual) por cada massagem.

É ela própria a sugerir ao(à) cliente  se quer experimentar uma primeira vez: “Naturalmente, eu peço ao cliente se quer experimentar uma primeira vez. E então – antes de adicionar qualquer óleo – Eu mordo para cima e para baixo, num movimento muito fluído, pouco a pouco, evitando quaisquer ossos. Eu faço o pescoço e ombros, e às vezes os glúteos, também. “Eu dou grandes mordidas, obviamente não firmes o suficiente para rasgar a pele, mas firmes e profundas o suficiente para agarrar e “amaciar”os músculos das costas, aquecendo-os para a massagem que se segue”. É uma espécie de “aperitivo para a refeição completa”.

Atualmente está a escrever um livro de memórias das suas experiências. entre elas as massagens que fez muitas vezes ao Presidente da Geórgia e também de um cliente australiano que a contratou para 6 horas de massagens de uma só vez!

Desculpa da dor de cabeça para recusar sexo tem base científica

Imagem: StockPhoto
Imagem: StockPhoto

A velha desculpa da dor de cabeça usada pelas mulheres para recusar o sexo pode ter base científica, revela um novo estudo divulgado pela revista “Journal of Neuroscience”. E mais: o problema reduz significativamente o desejo sexual apenas de quem é do sexo feminino, poupando os homens.

Para chegar a este resultado, os cientistas colocaram ratos fêmeas e machos num grande recipiente dividido por uma barreira com pequenas aberturas para os camundongos do sexo masculino passarem.

Isso permitiu que as fêmeas pudessem decidir quanto tempo elas iriam gastar com os parceiro, ou que elas fugissem quando quisessem.

Os pesquisadores também deram às fêmeas uma droga inflamatória que causava dor crónica.

Descobriu-se que aquelas que sentiam dor passavam menos tempo ao lado dos ratos do sexo masculino na câmara de testes – e eram menos interessadas em sexo.

A única maneira encontrada para que o desejo fosse recuperado foi por meio do uso de um analgésico chamado pregabalina.

Os ratos machos também foram colocados num recipiente com as parceiras fêmeas no cio. Foi revelado que a dor não modificou a conduta sexual desses animais.

– Nós sabemos de outros estudos que apontam que o desejo sexual das mulheres é muito mais dependente do contexto do que o dos homens. Mas não está claro se isto se deve a fatores biológicos, sociais ou culturais, tais como educação e influência dos média. A nossa descoberta com camundongos fêmeas mostra que pode haver uma explicação biológica e evolutiva para a inibição do deseja sexual causada pela dor, e não apenas sociocultural – explicou ao jornal britânico “The Telegraph” o cientista e autor do estudo Jeffrey Mogil, da “Universidade McGill”, em Montreal, no Canadá.

O cientista Yitzchak Binik, da mesma universidade, acrescentou: A dor crónica é muitas vezes acompanhada por problemas sexuais nos seres humanos. Esta pesquisa fornece um modelo animal de desejo inibido por dor, que vai ajudar os cientistas a estudar este importante sintoma.

Segundo o professor James Pfaus, da Universidade de Concordia, em Montreal, as diferenças da reação à dor abrem novas portas para a compreensão de como respostas sexuais são organizadas no cérebro.

Na verdade, a tendência crescente em favor da medicina personalizada obriga-nos a compreender como determinadas doenças, juntamente com os seus tratamentos, podem afetar a vida sexual de homens e mulheres – explicou ao “The Telegraph” o cientista.

Via: O Globo

Esposas “chatas” podem custar a vida a centenas de homens

CNa Dinamarca foi conduzido um estudo que concluiu que os homens correm mais risco de morte prematura quando são frequentemente importunados pelas esposas (relações stressantes) ou outros entes queridos. O estudo foi publicado pela primeira vez no Journal of Epidemiol Community Health , e é focado em relações sociais stressantes.

De acordo com este estudo realizado pela Universidade de Copenhaga, os homens são mais propensos a morrer por causa de um casamento stressante. Ainda segundo os dados, as mulheres parecem estar imunes a este problema. Maridos “chatos”, “reclamadores” nos seus relacionamentos não tem um impacto negativo na saúde das mulheres. Já os homens, parece que da análise dos dados ressalta que eles tem “2,5 mais probabilidades de morrer no prazo de dez anos”, quando o seu relacionamento é mais stressante.

Os pesquisadores estudaram 100 mil pessoas entre os 36 e os 52 anos. Durante o período do estudo, 1o anos, 196 mulheres e 226 homens morreram. Destas mortes, 315 mortes foram atribuídas a questões de stress e/ou ansiedade.

Verificou-se que as pessoas que no inicio do estudo mencionaram relações stressantes tinham entre 50 e 100% mais probabilidades de morrer.

E os homens mais propensos porquê!? Porque não exteriorizam as suas emoções tão facilmente. Este facto pode levar os homens, por exemplo, a comer, beber e/ou fumar mais e a ter mais depressões. Estes comportamentos podem dar inicio a um ciclo vicioso que pode levar à morte prematura, de acordo com Robert Lund um dos autores do estudo.

Ainda segundo Lund (Secção de Medicina Social, Departamento de Saúde Pública, da Universidade de Copenhaga), disse: “Os homens têm menos pessoas na sua rede social do que as mulheres, que tendem a compartilhar os seus problemas e preocupações com mais pessoas.

Com informações de: The Telegraph

Caloiros (Medicina) de Coimbra fazem videclip da música que representará Portugal na Eurovisão

fmuc“Como forma de apoiar a música que representará Portugal no Festival Eurovisão da Canção 2014, os caloiros da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) decidiram fazer o videoclip do tema “Quero ser tua” da Suzy. Este é o resultado de várias horas de gravação e edição.”

É assim que os alunos apresentam este magnifico vídeo. O vídeo contém ainda imagens do making of.

Acrescentam “Esperemos que gostem e FORÇA PORTUGAL!!!”.

O Arco da Velha gostou e associa-se à festa.

E por Coimbra, não vai nada, nada!?

[ads1]

[divider] [box type=”info” ][/box]

Não fique com esta história só para si! Partilhe com os seus amigos:

Vídeo de entrevista para emprego mais difícil do mundo. Genial!

entrevistaE se de repente estivesse a responder a um anúncio para o emprego mais difícil do mundo!? Se lhe dissessem que não tinha horário, que não iria receber nada, que teria que ter conhecimentos de medicina, finanças, culinária…
Bem, o  melhor é ver! É absolutamente genial e, mais importante que isso, bem verdadeiro!

Tanta gente no mundo tem este emprego…

OBS: Active as legendas (se não perceber inglês)

[divider] [box type=”info” ][/box]

Não fique com esta história só para si! Partilhe com os seus amigos:

Americana de 27 anos leiloa a ‘virgindade’

virgindadeUma mulher que diz ser estudante de medicina e se identifica como Elizabeth Raine, de 27 anos, está a “oferecer” a sua virgindade a quem pagar mais num leilão online.

Elizabeth garante ser aluna de uma das mais famosas escolas médicas dos EUA. Ela espera arrecadar pelo menos  400 mil dólares (cerca de 289.000€) no leilão. Para isso, está a usar um agente australiano a fim de não violar as leis americanas contra a prostituição.

A dona da “virgindade” leiloada, que diz ser loura de olhos verdes e ter 1,78m de altura, divulgou fotos no seu site, sem exibir o rosto.

Ela acrescenta que pretende doar 35% do valor arrecadado no leilão para uma instituição de caridade.

O vencedor terá direito a passar 12 horas com Elizabeth, que garante ter o apoio dos pais.

No site, a americana listou os motivos que a fizeram partir para o leilão: dinheiro, aventura, erotismo, escândalo e desafio à virgindade.

Será que é uma partida? É que o leilão terá o seu inicio a 1 de abril…
   

Dormir pouco pode levar à perda de neurónios

dormir poucoDe acordo com estudo elaborado por cientistas americanos, a falta de sono pode provocar perda permanente de neurónios. A pesquisa que foi publicada na revista científica The Journal of Neuroscience, diz que em camundongos (também conhecidos por ratos-domésticos) a falta prolongada de sono levou à morte de 25% de certas células do cérebro.

Os cientistas responsáveis pelo estudo destacam que se o resultado for semelhante em humanos, seria inútil tentar compensar as horas de sono perdidas. Além disso, estimam que num futuro próximo seja possível desenvolver um tipo de droga capaz de proteger o cérebro dos efeitos negativos das noites mal dormidas.

Conforme Sigrid Veasey, uma das responsáveis pela pesquisa o próximo passo é fazer um exame post-mortem nos cérebros de pessoas que dormiam pouco para procurar indícios de perda de células cerebrais.

O estudo foi conduzido por uma equipa de cientistas da Universidade da Escola de Medicina da Pensilvânia que estudou certas células do cérebro que mantêm o cérebro alerta. Foram analisados ratos de laboratório que foram mantidos acordados para efetuar uma réplica da falta de sono, que entre os humanos da vida moderna é tida como uma característica própria, tanto em turnos noturnos quanto em horas passadas no escritório.

Já Hugh Piggins, da Universidade de Manchester, salienta que esta experiência indica o que pode dar errado no cérebro humano a partir do estudo em ratos.”Os autores traçam paralelos com as pessoas que trabalham por turnos à noite e sugerem como a privação crónica de sono pode afetar negativamente não só a saúde física, mas também mental”, frisou Piggins.

Açucar colocado diretamente nas feridas ajudar a curar mais rápido

acucarMuito açúcar pode ser mau para a cintura, mas poderá ajudar os médicos a curar os doentes.

Uma nova pesquisa mostra que medicina popular de África pode ser a chave para o tratamento de feridas que desafiam a medicina moderna.
Um estudo descobriu que o açúcar granulado despejado diretamente numa ferida, úlceras da perna e até mesmo amputações promove a cura quando os antibióticos e outros tratamentos já falharam.

De acordo com o estudo, o açúcar extrai água da ferida para um penso acelararando assim o processo de cicatrização. O remédio tradicional foi sugerido por Moisés Murandu (à esquerda) para o tratamento de Alan Bayliss (à direita)

O estudo é liderado por Moisés Murandu, um professor de enfermagem em Wolverhampton University, que cresceu no Zimbabwe, onde o seu pai costumava colocar açúcar para curar feridas e reduzir a dor, quando ele era criança.

Um dos pacientes que recebeu o tratamento como parte da pesquisa é Alan Bayliss, de Birmingham, que estava a ser tratado na ala para amputados do Moseley Hall Hospital’s.

Devido a uma ulcera o paciente foi sujeito a amputação da perna direita e a uma operação à perna esquerda no Queen Elizabeth Hospital. Para a reabilitação ele foi transferido para Moseley Hall Hospital’s, onde foram usados os tratamentos normais mas as feridas não estavam a sarar tão rápido quanto era desejado. Foi então que entrou em cena o Enfermeiro Moisés Murandu que, usou acuçar para curar as feridas. Em duas semanas as feridas reduziram consideravelmente de tamanho.

Bayliss, o paciente, disse: “Foi revolucionário. A ferida real era muito profunda – era quase tão grande quanto o meu dedo “Quando o enfermeiro Moisés fez o primeiro curativo ele quase despejou um pote de açúcar, mas duas semanas depois ele só precisava usar 4 ou 5 colheres de chá. O “Tratamento do açucar” fez-me sentir muito melhor”

Até agora, 35 pacientes já receberam este tratamento, viram a sua condição melhorar, sem efeitos adversos relatados, em comparação com 16 pacientes que não têm o tratamento.

O tratamento funciona porque as bactérias precisam de água para crescer, a aplicação de açúcar numa ferida suga a água e as bactérias acabam por morrer impedindo assim, também, a sua multiplicação.

Via: DailyMail

Dentista vinga-se e arranca os dentes todos a ex-namorado

Quando abandonar uma namorada dentista não volte ao seu consultório para tratar dos dentes! Esta poderia bem ser a máxima que o cidadão polaco Marek Olszewski, de 45 anos, desrespeitou!

Anna Mackowiak, dentista, de 34 anos foi abandonada por Marek Olszewski de 45 anos. Dias depois de romper a relação Marek foi ao consultório de Anna afim de ser tratado a um a dor de dentes. Ela então anestesiou o paciente(e também ex-namorado) e arrancou-lhe todos os dentes!

Anna diz que : “Tentei ser profissional e separar-me das minhas emoções. ‘Mas quando o vi ali eu pensei, “Que cabrão”.

Já a vítima, o Sr Olszewski disse: ‘Eu sabia que algo estava errado, porque quando acordei, não conseguia sentir nenhum dente e o meu queixo estava amarrado com ligaduras.”

Anna Mackowiak, agora pode ir parar à prisão fruto da sua atitude pouco profissional.