Cabras anãs são as mais recentes atrações nas maiores festas noturnas de Los Angeles

Duas cabras anãs nigerianas são já o grande destaque da vida noturna de Los Angels. Há quem já as chame de “festeiras profissionais”.

A Scout Raskin, também conhecida no meio como “Mãe Cabra”, amante de animais de longa data e ex-atriz infantil, criou uma empresa chamada Party Goats LA (no início de 2017 e cobra 99 dólares por hora (cerca de 85 €) para levar as suas cabras a festas ou outros eventos.

Uma das interações mais populares com as cabras nas festas é fazê-las saltar para as costas dos foliões enquanto eles se ajoelham de quatro.

Apesar de serem da mesma raça e idade, os dois animais têm personalidades muito diferentes, diz Raskin. “Geralmente as pessoas nas festas têm os seus favoritos. Algumas pessoas amam Pippin porque ela é muito fofa, mas ela é a bonitinha idiota ”, disse Raskin. “E então algumas pessoas realmente gostam de Spanky porque ela é mais calma e tranquila e eles sentem que podem ligar-se mais com ela.”

As pequenas cabras não se incomodam com música alta e multidões de pessoas, disse Raskin. Para além disso a Party Goats assegura a limpeza de qualquer sujidade que as mesmas possam fazer durante a sua presença.

“Fomos a festas com DJs onde há música alta e eu estava preocupada sobre como elas reagiriam. Pippin adormeceu e estava totalmente calma, fria e bem naquele ambiente, e isso realmente não parecia ferir os seus ouvidos ou qualquer coisa assim ”, ela disse.

Antes de chegar à cidade, Raskin veste as cabras em jaquetas e colares de veludo de renda roxa e envolve os chifres em fita colorida, para decoração e segurança.

A partir daí as cabras estão prontas para a festa…

Ratos destroem o equivalente a 15.000€ em caixa multibanco

Ratazanas que entraram numa caixa multibanco no estado de Assam, no nordeste da Índia, mastigaram 1,2 milhão de rúpias (equivalente a cerca de 15.000€)

A destruição insólita de notas veio à tona após vários utilizadores se terem queixado de que a caixa multibanco em questão não estava a entregar dinheiro, disse à AFP a polícia do distrito de Tinkusia.

Os funcionários do banco “foram controlar a caixa multibanco na semana passada e quando abriram descobriram um rato morto e as notas todas roídas”, afirmou o inspetor da polícia Mugdhajyoti Dev Mahanta.

A polícia fez verificações e não encontrou indícios de “crime, ou esquema”. Os ratos parecem ter entrado por uma pequena abertura para os cabos de alimentação e/ou comunicaçãos.

Nas fotos, é possível ver parte do 1,2 milhão de rúpias rasgadas.

(Foto: AFP)

Masturba-se com tamboril e acaba no hospital

Um homem japonês, que tem por hábito descrever e publicar as suas práticas sexuais insólitas na rede social 2channel, sob anonimato, acabou hospitalizado depois de usar um… tamboril para se masturbar!

O japonês, que trabalha com peixes, disse que mexia todos os dias naquela espécie e que tinha “curiosidade” em experimentar usar o estômago de um tamboril para se masturbar.

Com fotografias, o japonês explicou que tomou precauções. Desinfetou o órgão cru do peixe, com sal e álcool, antes de usar a membrana do estômago como uma luva na mãe. “Estou a tirar as calças agora”, escreveu o homem na última foto da experiência que publicou na dita rede social.

A mão do japonês já com o estômago do tamboril pronta para a acção…

A aventura não correu bem pois mais tarde foi revelado que deu entrada num hospital com dores no pénis. Foi diagnosticado com uma inflamação na uretra e, mais tarde, apurou-se que tinha contraído uma infeção parasitária por se ter masturbado com o peixe cru.

O japonês, que continua a recuperar em casa, não pareceu demovido e já disse aos seguidores que pretende fazer a mesma experiência mas desta vez com recurso a uma lula.

Via: CM

Papagaio pode ser testemunha em caso de homicidio

bud-papagaioA ex-mulher de um homem assassinado a tiro no Michigan (EUA) acredita que o papagaio dele está a repetir algo dito poucos antes dos disparos que lhe tiraram a vida.

O prrocurador do condado de Newaygo, Robert Springstead, está a analisar a possibilidade de Bud, um papagaio africano, testemunhar no caso.

“Não conheço um precedente legal para isso”, afirmou ele à agência AP na segunda-feira (6/6).

Springstead comentou, ainda, que, quando o juiz ordenar que Bud levante a mão para prestar o juramento, “ele levantará uma asa, um pé?” “Como será?”

Martin Duram, de 45 anos, foi morto com cinco tiros na casa em que morava em Ensley Township, em maio de 2015. Glenna Duram, a sua esposa na altura, ficou ferida na cabeça, mas sobreviveu.

De acordo com Christina Keller, a ex, Bud (o papagaio) , que está a morar com ela, está constantemente a repetir “Não atire!” imitando a voz de Martin (na altura o seu dono).

O homicidio está a ser ainda investigado. Ninguém foi indiciado pelo crime. De acordo com o inquérito, obtido pela emissora WOOD-TV, Glenna (a esposa na altura) nega ter morto o marido.

Doreen Plotkowsk, dona de uma loja de aves em Grand Rapids (Michigan), disse ao canal WABC não ser incomum papagaios africanos imitarem vozes de homens e mulheres.

“É sem dúvida uma briga entre um homem e uma mulher”, afirmou ela. “Na minha opinião, é algo que ele ouviu antes (da morte)”, acrescentou.

Abaixo uma gravação em que, segundo Christina, Bud diz ‘Don’t fucking shoot’ (a partir do minuto 1)

Um agricultor cavava no campo quando encontrou algo impressionante!

mamuteNos EUA, mais concretamente em Michigan, um agricultor cavava num campo de trigo de sua propriedade para instalar um novo sistema de rega quando fez uma descoberta inesperada.

O que ele encontrou pareciam ossos, então ele contactou paleontólogos da Universidade de Michigan para analisarem. Após a análise, descobriram que os restos são de um mamute macho adulto que provavelmente viveu há mais de 11.700 anos atrás.

Curiosamente, vários outros esqueletos de outros animais haviam sido encontrados na região, mas este foi o primeiro achado de um mamute.

O estudante Ashley Lemke, da Universidade de Michigan, e os paleontólogos Joe El Adli e Daniel Fisher examinaram uma “lasca” de pedra encontrado perto das presas do animal durante a escavação. A lasca pode ter sido a ferramenta que os povos antigos usaram para cortar o mamute.

Acredita-se que o animal morreu há cerca de 10-15 mil anos atrás. Na altura da sua morte, ele tinha cerca de 40 anos de idade.

De acordo com a legislação local, tudo o que há de baixo da terra pertence ao seu respectivo proprietário. Portanto, o osso agora adorna a loja Bristla, do agricultor e está disponível para estudos.

mamute2

 

Homens passam várias horas do dia a viver como cachorros

cachorrosO comportamento é conhecido mundo a fora como pup play (brincar como cachorro) e está em franco crescimento na comunidade sadomaso (BDSM).

Nele, humanos vestem-se como cachorros e vivem como cachorros durante várias horas do dia. Assim, costumam ter brinquedos caninos, gostam de receber carinho na barriga, comem em tigelas e assumem um relacionamento com os seus “donos” humanos.

A história de alguns adeptos da prática foi contada num documentário do Channel 4 chamado “Secret Life of the Human Pups” (A vida secreta do cachorros humanos).

Um dos personagens é Tom, mais conhecido pelo seu nome canino, Spot. Ele costuma participar numa curiosa competição, o Mr Puppy Europe, que ocorre em Antuérpia (Bélgica) e que elege o melhor homem-cão. No documentário, Spot, Bootbrush, Hexyc e Tibo, alcunhas caninas de outros adeptos do pup play, mostram o seu dia a dia sobre quatro patas: fazem xixi em postes, latem, fazem festa para ganhar guloseimas e até agitam os rabos mecânicos acoplados à roupa de látex.

Spot, Hexyc e Tibo a vive como cachorros | Divulgação/Channel 4
Spot, Hexyc e Tibo a vive como cachorros | Divulgação/Channel 4

Tom descobriu o pup play gradualmente. Ele já gostava de dormir com uma coleira e tinha fetiche com roupas de lycra e vinil. Foi-se empolgando e então surgiu a sua identidade canina, que seguiu o padrão de um dálmata.

O escritor David contou que a prática sadomaso, na qual assume a identidade de Bootbrush, é uma escapada do mundo como nós conhecemos.

“É totalmente não verbal. É pré-racional, pré-consciente”, disse ele.

Via: PageNotFound

Homem descobre nova espécie de dinossauro no próprio quintal

descobertaOs paleontólogos viajam para lugares distantes à procura de fósseis. Já Bill Shipp só precisou sair de casa e ir até ao quintal!

Bill é um físico nuclear que tem como hobby a paleontologia. E, por coincidência ou não, ele acabou por descobrir no seu quintal ossos de dinossauro. Mas não é só: os ossos achados pelo homem fazem parte de uma nova espécie de dinossauro.

dinossauroForam necessários 10 anos para conseguir retirar e identificar todos os ossos achados, que fazem parte de uma nova espécie de Triceratops: Spiclypeus shipporum. A espécie foi batizada “carinhosamente” de Judith, e o nome foi dado em homenagem a um rio que fica perto do local em que os ossos foram achados. Esta espécie já tem 80 milhões de anos e possui uma coroa cheia de chifres defensivos que apontam para todos os lados.

Uma análise feita aos ossos revelou que o animal estava doente quando morreu. Acredita-se que ele sofria de algum problema causado pela idade.

A espécie começará a ser exposta na semana que vem no Museu Canadiano da Natureza (Canadian Museum of Nature).

Chinês fica ‘preso’ na Coreia do Sul após filho rabiscar o seu passaporte

Um cidadão chinês está temporariamente preso na Coreia do Sul e impedido de regressar ao seu país de origem aoós  o seu filho de 4 anos ter rabiscado todo o seu passaporte, deixando o documento inutilizável.

A criança teria ficado entediada durante a viagem de volta à China e, para se distrair, pegou numa caneta e “ilustrou” todo o documento do pai com traços e desenhos de animais, cobrindo completamente o rosto do chinês.

Com o passaporte totalmente danificado, as autoridades não puderam deixar seguir o passageiro, e por isso ele não conseguiu voltar para casa com a família.

Uma foto tirada do documento rabiscado virou sensação nas redes sociais chinesas, que fizeram piada com o ocorrido.
passaporterabiscos

Desculpa da dor de cabeça para recusar sexo tem base científica

Imagem: StockPhoto
Imagem: StockPhoto

A velha desculpa da dor de cabeça usada pelas mulheres para recusar o sexo pode ter base científica, revela um novo estudo divulgado pela revista “Journal of Neuroscience”. E mais: o problema reduz significativamente o desejo sexual apenas de quem é do sexo feminino, poupando os homens.

Para chegar a este resultado, os cientistas colocaram ratos fêmeas e machos num grande recipiente dividido por uma barreira com pequenas aberturas para os camundongos do sexo masculino passarem.

Isso permitiu que as fêmeas pudessem decidir quanto tempo elas iriam gastar com os parceiro, ou que elas fugissem quando quisessem.

Os pesquisadores também deram às fêmeas uma droga inflamatória que causava dor crónica.

Descobriu-se que aquelas que sentiam dor passavam menos tempo ao lado dos ratos do sexo masculino na câmara de testes – e eram menos interessadas em sexo.

A única maneira encontrada para que o desejo fosse recuperado foi por meio do uso de um analgésico chamado pregabalina.

Os ratos machos também foram colocados num recipiente com as parceiras fêmeas no cio. Foi revelado que a dor não modificou a conduta sexual desses animais.

– Nós sabemos de outros estudos que apontam que o desejo sexual das mulheres é muito mais dependente do contexto do que o dos homens. Mas não está claro se isto se deve a fatores biológicos, sociais ou culturais, tais como educação e influência dos média. A nossa descoberta com camundongos fêmeas mostra que pode haver uma explicação biológica e evolutiva para a inibição do deseja sexual causada pela dor, e não apenas sociocultural – explicou ao jornal britânico “The Telegraph” o cientista e autor do estudo Jeffrey Mogil, da “Universidade McGill”, em Montreal, no Canadá.

O cientista Yitzchak Binik, da mesma universidade, acrescentou: A dor crónica é muitas vezes acompanhada por problemas sexuais nos seres humanos. Esta pesquisa fornece um modelo animal de desejo inibido por dor, que vai ajudar os cientistas a estudar este importante sintoma.

Segundo o professor James Pfaus, da Universidade de Concordia, em Montreal, as diferenças da reação à dor abrem novas portas para a compreensão de como respostas sexuais são organizadas no cérebro.

Na verdade, a tendência crescente em favor da medicina personalizada obriga-nos a compreender como determinadas doenças, juntamente com os seus tratamentos, podem afetar a vida sexual de homens e mulheres – explicou ao “The Telegraph” o cientista.

Via: O Globo

Adotar um cachorro pode salvar o seu namoro

Crédito da foto: flickr.com/pauldavidy
Crédito da foto: flickr.com/pauldavidy

Namora e a relação não está nada de especial? Investigadores britânicos têm uma dica: adote um cachorro. Isso pode melhorar as coisas no seu namoro.

Bem, foi o que mostrou um estudo com 2.000 pessoas. Todos os participantes opinaram sobre coisas que realmente funcionam na tentativa de salvar um relacionamento. E, segundo eles, adotar um cachorro é uma das medidas que mais dá certo. Por um motivo simples: o animal cria um novo laço entre o casal.

Mas se não gostar de animais, há outras coisas que também funcionam, como deixar o Facebook de lado, marcar um jantar ou outro programa especial à noite. E até: ser sincero(a) e aberto(a). É que a maioria deles apontou a falta (e/ou a falha) de comunicação como o problema mais fatal para o namoro – e dá para resolver isso passando mais tempo divertido ao lado do parceiro.

Chineses solitários driblam a falta de amigos com repolhos de estimação

repolhosO que você faz quando se sente sozinho e abandonado? Muitas vezes os animais de estimação são o escape nesta situação…

De acordo com o site/jornal Metro, os jovens chineses encontraram uma forma pra lá de insólita — para não dizer bizarra — de driblar a solidão. Segundo a publicação, por lá os adolescentes estão a adotar repolhos como amigos e inclusive há os que passeiam com os vegetais como se fossem animais de estimação. Isso mesmo, caro leitor, repolhos…

O mais curioso é que dessa forma os jovens têm a oportunidade de encontrar outros chineses acompanhados de seus amigos verdinhos, tal como acontece quando levamos nossos cães para passear e jogamos conversa fora com outros donos de animais. Conforme explicou o psiquiatra Wen Chao, a ideia é bem simples — e triste! —: estes pobres adolescentes sentem-se tão sós e simples quanto um repolho, e logo começam a agir como uma dessas plantas.

Ainda segundo Chao, quando os jovens saem com as plantas, a intenção não é a de encontrar companheiros sentimentais humanos, mas a de achar alguém com quem simplesmente conversar. Lui Ja Chen, um dos jovens que se tornou amigo de um repolho, revelou que a planta o ajudou muito, pois quando a leva a passear, Lui transfere os seus pensamentos negativos para o vegetal.

De acordo com o Orange News, outro jovem — chamado Da-Xia Sung — inclusive disse sentir mais interesse pelo repolho do que pelos pais, explicando que sente que o vegetal o entende. Apesar de essa bizarra situação ser preocupante, ter um repolho de estimação também tem suas vantagens! Afinal a planta não late, não faz gurra com outras plantas, não precisa ser alimentada, não faz necessidades pela rua e pode ser atirada ao lixo depois de “usada”!

Fotógrafa faz ensaio onde modelos posam com animais perigosos. Fabuloso!

Apesar de parecer Photoshop, não é. Este é um trabalho “arrepiante” da fotógrafa russa Katerina Plotnikova. Ela colocou modelos humanas juntamente com animais vivos – lado a lado.

Embora aparentemente perigoso, as fotos só foram possíveis com a ajuda de treinadores de animais. No entanto, o risco de alguns deles deixar o instinto selvagem falar mais alto estava sempre presente. Mas brindou-nos com imagens fabulosas!

fotos com animais_av (8) fotos com animais_av (2) fotos com animais_av (10) fotos com animais_av (9) fotos com animais_av (1) fotos com animais_av (3) fotos com animais_av (5) fotos com animais_av (14) fotos com animais_av (13) fotos com animais_av (15) fotos com animais_av (11) fotos com animais_av (6) fotos com animais_av (4) fotos com animais_av (7) fotos com animais_av (12)

Transgénero é preso após procurar em site cavalo para fazer sexo

cavalo-craiglistUm transgénero de Phoenix (Arizona, EUA) foi preso após postar anúncio no site de classificados Craigslist. Não era um anúncio qualquer. Ele procurava um cavalo. Mas também não era um cavalo qualquer. Era um cavalo para ter relações sexuais com ele.

“Tenho 22 anos e quero brincar com um cavalo. Simples”, escreveu Donald Waelde (na foto), o nome “oficial” do transgénero. Donald foi preso por bestialidade, de acordo com a Fox, após um frequentador do site denunciar à polícia o anúncio.

Um agente disfarçado entrou em contato e ouviu de Donald que ele queria fazer sexo com um equino. A bestialidade (sexo com animais) é ilegal no Arizona desde 2006.

[box type=”info” align=”aligncenter” ]Pessoas transgênero (português brasileiro) ou transgénero (português europeu) ) refere-se à condição onde a expressão de género e/ou identidade de gênero de uma pessoa é diferente daquelas atribuídas ao género designado no nascimento.1 Mais recentemente o termo também tem sido utilizado para definir pessoas que estão constantemente em trânsito entre um género e outro. O prefixo trans significa “além de”, “através de”. Transgênero é um conceito abrangente que engloba grupos diversificados de pessoas que têm em comum a não identificação com comportamentos e/ou papéis esperados do género determinado no seu nascimento. Esses grupos não são homogéneos dado que a não identificação com o género de nascimento se dá em graus diferenciados e refletem realidades diferentes.
Via: Wikipédia[/box]