Obstetra acusado de deixar grávida para fazer sexo com outra paciente

medico obstetraO Conselho de Medicina do Novo México (EUA) suspendeu o obstetra e ginecologista Christopher S. Driskill, de 42 anos, classificado como um “claro e imediato perigo à segurança e à saúde pública“.

O médico é acusado de estar frequentemente bêbado no trabalho e ter “relacionamentos inapropriados” com algumas pacientes. Num episódio, Driskill teria deixado uma paciente em trabalho de parto sem cuidados para fazer sexo com outra mulher internada no hospital em que trabalhava, segundo reportagem do “Albuquerque Journal”.

“Os seus relacionamentos sexuais e o abuso do álcool afetaram negativamente a prática da medicina”, escreveu o conselho ao comunicar a suspensão do médico.

Antes do escândalo, Driskill havia sido eleito presidente da Sociedade Médica do Novo México e, de acordo com a regulamento, tem direito de assumir o cargo em maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.