Jan 24, 2018
112 Visitas

“Conversas” durante o sono são normalmente desagradáveis e até ofensivas

Publicado por

Sofre de sonilóquio? Hã!? Se você fala enquanto dorme, então sofre de um distúrbio do sono chamado sonilóquio! Apensar de não ser preocupante, pode ser um indicador da existência de outros problemas. É mais frequente em crianças e em homens.
Chegou-se, entretanto, à conclusão que quem fala enquanto dorme pode ser desagradável e até ofensivo. O que diz, claro!

Pesquisas realizadas pela Dra. Isabelle Arnulf trouxeram alguma luz sobre o que dizem os “conversadores do sono” e as notícias não são boas: as “conversas” podem ser desagradáveis e até ofensivas. Basicamente ou dizemos absurdos completos ou porcaria!

A pesquisa, foi feita recorrendo à análise do sono de 232 adultos (129 dos quais tinham transtorno do comportamento do sono, 87 habitualmente sonâabulos e com pesadelos , um que tinha apneia do sono e o resto não apresentava distúrbios relacionados com sono).

Todos os participantes foram gravados enquanto dormiam ao longo de algumas noites e as conclusões foram:

  • Palavra mais comum: Não! (24% das conversas no sono tem conteúdo negativo);
  • 22% das conversas tem conteúdo desagradável;
  • Quase 10% de todos os episódios de conversa do sono envolveram palavrões, com ‘fuck’ (o estudo não foi feito em Portugal senão palavara seria outra 🙂 ) a ser dita 800 vezes mais frequentemente no sono dos participantes do que quando estavam acordados.

Mas não são só notícias más! O mesmo estudo garante que apesar de estarmos a dormir a nossa gramática continua sólida!

“O que agora sabemos é que falar no sono é muito parecido com falar acordado, em termos de gramática correta, com orações subordinadas e silêncio para que outros possam responder, como na conversa acordado”, acrescentou a Drª Arnulf .

“As diferenças são qualitativas: o idioma noturno é negativo, tenso, mais vulgar e dirigido a alguém, não a si mesmo.

Tags dos artigos
Categorias dos artigos
Estudos · Fora de Série

Comenta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.