Jul 21, 2010
953 Visitas

Dois presos fogem de prisão argentina que era vigiada por… um boneco!

Publicado por

Dois condenados por assalto à mão armada fugiram de uma prisão da província argentina de Neuquén (sudoeste da Argentina) que, por falta de guardas. Quer dizer, até havia numa das torres de vigilância, um guarda  que era, nem mais nem menos que, um boneco chamado ‘Wilson’, revelou nesta quarta-feira uma autoridade do Serviço Penitenciário.

“Por uma questão estratégica, obviamente não podíamos revelar, mas agora que já se sabe, admito que temos um manequim, mas neste sector funcionam câmaras que nos permitem observar toda a movimentação da zona”, justificou o director do Serviço Penitenciário da província, Daniel Vergés.

Os dois presos fugiram no sábado passado após escalar um dos muros da Unidade Penal Nº 11 de Neuquén debaixo do nariz do vigia, protegido por uma guarita, mas que na verdade era um boneco posto ali por falta de pessoal.

Os agentes penitenciário apelidaram o boneco de Wilson, em alusão à bola que acompanha Chuck Noland (interpretado por Tom Hanks) no filme “O Náufrago”, e baptizada assim por uma marca de artigos desportivos.

“Temos o Wilson numa guarita, como no filme ‘O Náufrago’: fizemos um boneco com uma bola e um boné para que os presos vejam uma sombra e pensem que estão a ser vigiados”, contou ao jornal Rio Negro um agente penitenciário que reconheceu que apenas duas das 15 guaritas têm vigias humanos.

“Quando os chilenos estavam detidos aqui, Wilson aguentava firme as 24 horas”, ironizou o agente. A prisão “abrigou” durante cerca de dois anos dois chilenos, Freddy Fuentevilla e Marcelo Villarroel Sepúlveda, extraditados em dezembro de 2009 para o seu país, onde eram acusados de assassinar um policia militar.

Câmaras partidas, monitores queimados e falta de dinheiro para resolver os problemas técnicos têm sido denunciados em Neuquén e reconhecidos pelo chefe da polícia local, Juan Carlos Lepén.

Fonte: G1 | rionegro.com.ar

Categorias dos artigos
Insólito

Comenta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.