Centro de Emprego alemão recusa publicitar vaga para prostitutas!

Escrito por

prostitutas1O dono de um bordel na cidade de Speyer, no sudoeste da Alemanha, processou o governo do país porque a agência pública de empregos (tipo Centros de Emprego) se negou a participar na selecção das suas futuras funcionárias.

O empresário queria contratar prostitutas no país e na União Europeia e solicitou que a agência federal alemã de empregos intermediasse a triagem de mão-de-obra.

Apesar das leis recentes, que garantem os direitos trabalhistas ás prostitutas, o órgão negou o serviço, alegando que atentaria contra os “bons costumes” e citando motivos práticos para impor limites. “Se fôssemos reconhecer a prostituição como um ofício qualquer, seríamos obrigados a oferecer cursos de aperfeiçoamento e reciclagem na área”, diz Rainer Krappmann, representante da Agência Federal de Empregos.

Os tribunais “acolheram” os argumentos do Estado. Segundo determinação do Tribunal Federal Social de Kassel, as agências federais não têm obrigação de procurar prostitutas como fazem com as vagas de outras profissões, apesar da nova legislação.

“A lei da prostituição não pressupõe a promoção desta actividade”, diz a sentença. Na opinião dos magistrados, o ofício não goza de plena aceitação social, não podendo ser equiparado como uma profissão “normal”.

“Se prostitutas pagam a seguridade social, então não há motivos para que a intermediação de emprego seja negada”, discorda Erich-Wolfgang Moersch, advogado do proprietário do prostíbulo.

Desde 2002, a chamada “lei da prostituição” permite que prostitutas trabalhem e descontem para a segurança social, beneficiando por isso do direito à reforma, assistência médica e subsidio de desemprego.

Fonte: BBC Brasil | Terra Notícias

Categorias dos artigos
Insólito

Comments to Centro de Emprego alemão recusa publicitar vaga para prostitutas!

  • omundo ta acabando .

    Luiz Dezembro 18, 2011 1:58 am Responder

Comenta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.