Homem é preso pela polícia por se recusar a parar de fazer sexo com o escape do carro

A polícia teve que recorrer à força para fazer um homem parar de fazer sexo com… o tubo de escape de um carro!

Ryan Scott Malek’s, de Newton, Kansas (EUA), foi apanhado com 4 vezes mais o limite legal de álcool no sangue quando a polícia o encontrou numa posição questionável com um carro estacionado. O agentes da polícia tentaram fazer com que ele parasse (de tentar fazer sexo com o tubo de escape de um carro) mas ele, alheado da realidade e persistente, continuou.

O documentos judiciais mostram que Ryan Scott Malek foi acusado de comportamento indecente e lascivo Ele admitiu ter repetidamente tentado fazer sexo com o escape do carro. 
Como fez ouvidos de mercador às vozes dos policias, estes recorreram a uma arma de choque elétricos (Taser), para o imobilizar. Foi então detido.

Mais tarde, ele declarou-se culpado de comportamento indecente e lascivo e foi colocado em liberdade condicional por um ano. 

Mulher é presa por bisbilhotar o telefone do marido sem permissão

Um tribunal nos Emirados Árabes Unidos (EAU) condenou recentemente uma mulher a três meses de prisão após o seu marido a ter processado por bisbilhotar o seu telefone sem a sua permissão.

Segundo o homem, tudo se passaria durante a noite,  altura em que a sua esposa bisbilhotava o seu telefone, fazendo cópia do seu conteúdo incluindo fotos e conversas de chat/messenger para que ela pudesse examinar todas as informações posteriormente.

Embora a mulher se tenha defendido dizendo que o marido havia lhe dado a senha para o telefone e permissão para examiná-lo, porque ela já o havia apanhado a conversar com outras mulheres, um tribunal em Ras Al Khaimah considerou-a culpada.

O marido entrou com uma queixa contra a esposa e a polícia chamou-a para interrogatório. Tudo porque ela violou a rígida lei de privacidade dos Emirados Árabes Unidos, que afirma que os casais são proibidos de aceder aos telefones pessoais um do outro sem permissão, mesmo se um deles suspeitar que o outro está a ter um caso.

Este caso foi originalmente relatado em 1 de outubro e, desde então, provocou um debate acalorado nas redes sociais.

Enquanto alguns acham que a mulher teve o que merecia por violar a lei, outros acham que era moralmente errado o marido mandar a esposa para a cadeia por vários meses, mesmo que ela lhe bisbilhotasse o telefone sem a sua permissão.

Google Maps provoca o divórcio de casal peruano

Um marido divorciou-se da sua esposa depois de descobrir fotos “íntimas” dela com outro homem no Google Maps.

O homem estava a planear uma rota quando viu uma imagem da sua esposa sentada num banco de jardim com a cabeça dele no sue colo e a acariciar-lhe o cabelo.

As fotos haviam sido feitas aquando da passagem de um carro com a câmara da Google na capital peruana, Lima. O marido chocado disse que a foto lhe chamou a atenção após notar que a mulher da foto parecia estar  a usar exatamente as mesmas roupas que a sua esposa possuía.

Ironicamente, ela foi fotografada com o seu amante nm banco perto da Ponte dos Suspiros de Barranco (Ponte dos Suspiros do Desfiladeiro).

A história remonta a 2013, o homem confrontou furiosamente a sua esposa com a evidência de sua infidelidade.

O casal, cujos nomes não foram revelados, divorciaram-se mais tarde após a mulher ter admitido ter tido de facto um caso e de ser ela mesmo nas ditas imagens do Google Maps.

Casal bebe demasiado na lua-de-mel e acaba por comprar o hotel

A história começou em Junho do ano passado. Gina Lyons, de 33 anos, e Mark Lee, de 35, casaram-se e prepararam a lua-de-mel para Dezembro desse ano num hotel rústico junto à praia no Sri Lanka.

A mulher conta que, embora a conversa inicial tenha sido enquanto estavam sobre o efeito de bebidas alcoólicas, as conversas seguintes  aconteceram também enquanto o casal estava… alcoolizado!

Na primeira noite no país asiático, o casal bebeu um pouco mais que devia e, ao receber a notícia – por parte de empregados do bar – de que o contrato de arrendamento daquele hotel estaria a acabar, decidiram assumir o aluguer.

O casal com a sua compra “intempestiva” ao fundo… 

Assim, a partir do dia 1 de Julho, Gina e Mark tornaram-se oficialmente os donos do “Lucky Beach Tangalle”, pagando uma renda anual de cerca de 11.500€. Isto durante três anos.

“Quando caminhávamos junto ao hotel, vimos um grupo de homens cingaleses que ainda estavam alcoolizados da noite anterior e começámos a beber com eles”, afirmou Gina ao jornal britânico Daily Mirror.

“Depois de descobrirmos o valor da renda” pensámos que seria uma ideia brilhante comprar o hotel – por estarmos tão bêbedos”, contou a britânica. “Agora, quase um ano depois desta ideia alcoolizada, somos donos do hotel e começámos a torná-lo nosso.”

“No dia seguinte fomos conhecer um casal idoso que nos explicou como renovar a renda sozinhos mas, como não entendíamos a maior parte do que diziam, continuámos a beber rum enquanto eles falavam”, explicou Gina.

A nova dona do hotel contou que não foi barata toda esta situação: além dos quase 35 mil euros da renda (pelos 3 anos), eram necessários mais oito mil euros em licenças de construção e imobiliário e sete mil euros na renovação do estabelecimento.

Apesar de um dificuldades iniciais no negócio, o casal tem agora clientes regulares e já quase cobriu o investimento feito enquanto estavam alegres. No entanto, Gina e Mark assumem que, a partir de agora, as suas decisões serão feitas apenas enquanto sóbrios.

Polícia da Austrália divulga retrato robô de suspeito ‘sem nariz’

Ele é um dos suspeitos de cometer violento assalto na cidade de Perth.

Um retrato robô eletrónico de um suspeito “sem nariz”, feito pela polícia da Austrália, está a viralizar na internet.

O homem do retrato é um dos dois suspeitos de um violento assalto no subúrbio de Dianella, na cidade de Perth, ocorrido na última sexta-feira (31 agosto).

A polícia de Western Australia não explicou o motivo de o retrato ter sido feito com um borrão no lugar do nariz, mas disse que “o foco é identificar os suspeitos”, segundo a imprensa local.

Pesquisa afirma que ficar em segundo é melhor que ficar em primeiro!

Num estudo sobre a vida de atletas medalhados olímpicos, o professor Adam Leive constatou que não terminar em primeiro pode, após, motivar a procura por sucesso profissional.

Já ouvimos muitas vezes a expressão “os últimos serão os primeiros”. Talvez isso seja apenas uma frase feita para motivar pessoas a não desanimarem em função de eventuais fracassos, é verdade. Mas, quando se trata da comparação entre o primeiro e o segundo – ou o primeiro dos últimos? – lugares, uma pesquisa recente mostra que há uma base real para não ficar triste se ficar em segundo.

Professor assistente da Universidade da Virgínia, Adam Leive publicou no Journal of Health Economics um estudo que compara a evolução na vida pessoal e na vida profissional de atletas que foram primeiro ou segundo colocados em Olimpíadas de 1896 e 1948. Leive constatou que, em geral, ganhar a medalha de prata resultou em destinos mais prósperos do que o observado para os medalhados com o ouro.

O recorte histórico feito por Leive é importante porque aborda o período em que os atletas eram amadores. Ou seja, as suas vidas não eram, ou eram em escala bastante pequena, influenciadas pelo sucesso desportivo. Naquela época, tanto os vencedores quanto os segundos colocados voltavam para casa a precisar procurar um emprego “comum”. 

Mas ficar com a medalha de ouro ou de prata parece ter servido para mudar o rumo de vida daqueles atletas. Leive observou que 70% dos atletas analisados que ficaram em segundo lugar nas competições conseguiram tornar-se trabalhadores profissionais, depois disso, enquanto apenas 20% dos vencedores no desporto conseguiram tal feito. O restante ficou com empregos semiprofissionais ou se tornaram vendedores de comércios populares.

Os segundo colocados também alcançaram maiores salários e tiveram, em geral, uma vida um ano mais longa do que a dos seus então competidores, segundo a pesquisa.

Mulher morre de overdose durante sexo oral

A cabeleireira Yvonne M,. de 38 anos, morreu de overdose ao fazer sexo oral ao médico Andreas David Niederbichler, de 42 anos.

Confuso? Bem, a denúncia, de acordo com o “Bild”, foi feita pelo pai da vítima. Segundo ele, Andreas pôs cocaína sobre o pénis sem o conhecimento de Yvonne.

Juergen afirmou que o médico tratava a filha por causa de uma tendinite. Os dois acabaram por se envolver num caso amoroso ou pelo menos sexual.

“Ele prometeu curar a minha filha, e agora ela está morta. Ele operou-a duas vezes. Tivesse ela morrido num acidente, poderíamos lidar com isso, mas não dessa forma como ocorreu”, contou o alemão.

Andreas trabalhava como cirurgião de mãos numa clínica de Halberstadt (Alemanha). Ele entretanto já foi preso por causa deste caso/denúncia.

De acordo com investigação, o médico já tinha posto cocaína no pénis durante sexo com outras duas mulheres. Só que nesses casos nenhuma delas morreu.

Diretor de Jardim de Infância contrata dançarinas de pole dance no regresso às aulas

O diretor de um jardim de infância em Shenzhen (China), com crianças entre 3 e 6 anos, teve a “brilhante” ideia de contratar dançarinas de pole dance para receber pais e alunos no regresso para o novo ano letivo. Após a apresentação, nesta segunda-feira (3/9), ele acabou despedido.

Lai Rong desculpou-se  e argumentou que a ideia era criar uma “atmosfera” para pais e filhos. As autoridades do Departamento de Educação torceram o nariz e consideraram a iniciativa “inapropriada”.

https://www.youtube.com/watch?v=SyTbe4RsSFE

Muitos pais manifestaram revolta com a presença das “convidadas” e com a “atmosfera” na reabertura do ano letivo, contou o “Mirror”.

A escola tem 500 alunos.

Mulher é obrigada a passar lua de mel sozinha e faz fotos a sofrer sem o marido

Imaginem a situação. Planeias durante meses ou até anos a tua lua de mel. De malas prontas, segues para o destino de sonho para gozar a lua de mel com o teu marido. Mas ao chegar ao aeroporto de destino, após mais de 15 horas de voo, ele é impedido de entrar no país de destino. Já com a viagem toda paga, o que farias?

Bem, inicialmente, a paquistanesa Huma Mobin tentou cancelar a viagem, mas, como o dinheiro gasto não seria reembolsado, o marido Arsalaan Sever cujo o seu visto foi negado pelas autoridades alfandegárias decidiu ajudar a convencê-la a seguir viagem sozinha para que o investimento não fosse totalmente perdido. Foi o que aconteceu. Ela seguiu viagem.

Ela decidiu então fazer a lua de mel… sozinha! Seguiu viagem rumo às ilhas gregas, mas fez questão de registar cada ponto turístico que passava, junto com a sua insatisfação de não ter o seu amor por perto.

Em compensação, ela pode aproveitar as férias ao lado dos seus sogros (um verdadeiro presente grego rsrsrsrsrs), que ajudaram anora a tirar fotos com o braço esticado (como que a abraçar o marido) e uma cara triste para mostrar que estava com saudades.

Pesquisa: bodes sentem-se atraídos por pessoas felizes

Uma pesquisa britânica concluiu que os bodes se sentem atraídos por pessoas felizes

Os bodes conseguem reconhecer pessoas felizes e sentirem-se atraídos por elas. Este é o resultado de uma recente pesquisa feita pela Queen Mary University, de Londres (Inglaterra).

Os cientistas usaram na experiência 20 bodes do Buttercups Sanctuary for Goats, em Kent (Inglaterra). A uma distância de 4 metros, eles tiveram contato visual com duas fotos da mesma pessoa: uma com expressão neutra e outra com sorriso no rosto.

Os bodes dirigiram-se à foto da pessoa feliz.

O estudo sugere que bodes usam o hemisfério esquerdo do cérebro para processar emoções positivas.

“O estudo tem implicações importantes sobre como interagimos com animais do campo, porque a habilidade dos animais perceberem as emoções humanas não estão limitadas aos animais de estimação”, afirmou Alan McElligott, que liderou o estudo, em relato na revista “Royal Society Open Science”.

O investigador Alan McElligott e um dos bodes investigados

Alemã de 36 anos vende virgindade por 250.000€

Uma mulher alemã de 36 anos vendeu a sua virgindade por centenas de milhares de euros depois de se cansar de esperar pelo “homem certo”.

Chama-se  Mandy, é alemã e vendeu sua virgindade através de um serviço de acompanhantes Cinderella Escorts por € 250.000 (1.178.273 reais) segundo o Daily Mail .

Ela disse que estava cansada de se abster e sabia que era hora de seguir em frente. “É como o casino – você tem que saber quando parar”, disse ela.

“Eu poderia continuar durante anos a convencer-me que só tinha que esperar mais um ano para encontrar o homem certo. Os anos passariam e eu só perderia tempo. Acho que estou a fazer a coisa certa.”

Mandy disse que os seus amigos estavam com ciúmes do fato de que ela conseguiu tanto dinheiro pela sua virgindade e esperou que os seus pais respeitassem a sua decisão.

Ela deve conhecer o vencedor anónimo do leilão em setembro e finalmente fará a escritura.

“Em algum momento, minha virgindade me pareceu um fardo. Todos falaram sobre isso. A sociedade fez-me sentir diferente. Que não é normal ser virgem aos 36 anos”, disse ela ao The Daily Mail .

“Mas acho que é isso que torna minha virgindade tão valiosa. Mantive-a por 36 anos e só posso dá-la uma vez”.

O dinheiro será dividido entre um adiantamento para a sua carreira de hospedeira de bordo e para ajudar a sua família e doar alguma coisa para caridade.

Homem bêbado tentou “atestar” cavalo em bomba de gasolina

O momento hilariante ficou gravado em vídeo pelas câmaras de vigilância do estabelecimento.

Steve, pelo menos é assim que foi dado a conhecer, tentou levar o cavalo a uma bomba de gasolina quando foi atirado e arrastado pelo animal, em Quincy, na Califórnia. Tudo aconteceu a 19 de deste mês, cerca das 18 horas.

O californiano Steve foi filmado pelas câmaras de vigilância do estabelecimento  quando caiu do cavalo, visivelmente embriagado.

https://youtu.be/ukyR5HBH0N4

Há 4 anos a tentar engravidar (sem o conseguir) casal descobre que só faziam sexo… anal!

Um homem de 26 anos e a sua companheira/esposa, de 24, estavam a tentar ser pais há cerca de quatro anos, sem sucesso, quando decidiram ir ao médico.

Na visita ao hospital, em Bijie, na China, o casal chinês descobriu que a mulher ainda era virgem. Como!? Verdade.

Depois de vários exames médicos de fertilidade, os médicos acabaram por constatar que o problema não era de saúde de  nenhum dos elementos do casal. Mas detetaram mais: a mulher ainda era virgem! O problema afinal era a forma como o casal tinha sexo.

O casal tinha até prática sexual regular mas, andaram 4 anos a fazer… sexo anal!

De acordo com o mesmo jornal, a jovem confessou que faziam sexo regularmente e que a experiência era sempre muito dolorosa para ela, tendo sempre aguentado na esperança de engravidar.

O obstetra ofereceu ao casal livros de educação sexual e indicou-lhe algumas orientações para solucionar o problema que enfrentavam. Poucos meses depois desta consulta médica o casal anunciou a gravidez.

Terapeuta fatura 50.000€ por ano… dando abraços a estranhos

Há seis meses atrás, Jessica O’Neill queria abraçar uma nova carreira. Após analisar algumas opções, a australiana de 35 anos decidiu investir num novíssimo mercado. Ela tornou-se numa… abraçadora profissional!

A ex-massoterapeuta fatura 79.000 dólares australianos (cerca de 50.000€) por ano dando abraços a estranhos. Uma hora de terapia custa 80 dólares australianos (cerca de 50€). Os clientes de Jessica sofrem, geralmente, de solidão ou depressão.

Para clientes que, além dos abraços, desejem tomar um café com ela e receber aconselhamento psicológico, Jessica cobra o equivalente a 94€.

Jessica a abraçar o filho Neo | Imagem: Caters News Agency

“Sempre fui uma pessoa afetuosa. É a minha natureza”, disse a australiana, que tem três filhos.

A maior parte dos clientes é formada por homens, na faixa dos 30 anos. O marido dela, garante a australiana, não tem qualquer restrição à atividade incomum. O número de mulheres que procuram a terapia está a crescer.

“Ele também me abraça muito em casa”, comentou Jessica, acrescentando que a inspiração da carreira foi a mãe, sempre bastante carinhosa.

Alguns dos que procuram os abraços terapêuticos de Jessica são viciados em sexo e pornografia que buscam ter uma “visão mais saudável” do próprio corpo. Raramente, diz ela, um cliente “confunde as coisas” no divã e ultrapassa a “linha”. “Há limites bem claros, e 99% dos clientes nunca pensam em cruzá-los”, afirmou.

Escola reduz faltas dos alunos recorrendo a… máquinas de lavar roupa!

Tudo se passa na West Side High School, em Newark (Nova Jersey, EUA), quando a  direção da escola descobriu que 85% dos alunos faltavam entre 3 e 5 dias por mês. Mas qual seria o motivo? A resposta causou surpresa: roupa suja.

Os alunos do colégio estavam a faltar por que não tinham roupa limpa com as quais ir à escola. Quando compareciam com roupa suja, eles sofriam bullying.

As famílias mais pobres não têm máquina de lavar em casa. Elas dependem de lojas com máquinas compartilhadas. Nem sempre têm dinheiro para custear uma lavagem. Três quartos das famílias de baixo rendimento dos EUA confessam não lavar roupas com a frequência necessária, segundo os padrões de higiene.

A saída para reduzir o número de faltas dos “mal-cheirosos” foi simples: inserir “lavandaria” no currículo. Da forma mais prática: com ajuda do programa Care Counts, da organização Teach for America, foram instaladas máquinas na escola. O detergente foi doado.

O resultado foi considerado excelente: 90% dos alunos atingidos pelo programa passaram a ter menos faltas.

A experiência positiva da West Side High School foi copiada por outra escola de Nova Jersey, com resultados semelhantes.