Set 30, 2018
522 Visitas

Americano acusado de homicídio safa-se de condenação por causa do tamanho do pénis

Publicado por

Tudo aconteceu há 3 anos (outubro de 2015) quando Richard Henry Patterson de 65 anos e Francisca Marquinez, de 60 anos, namoravam naquela altura há 4 meses e Francisca Marquinez foi encontrada morta na sua casa em Margate (Flórida – EUA).

A polícia encontrou o corpo já em decomposição após Patterson ter ligado para o seu advogado, Padowtiz, que o instruiu a chamar a polícia para o apartamento da sua namorada. Patterson foi preso uma semana depois acusado de homicídio em segundo grau.

Mas o homem alega que não a matou. E tem um motivo para explicar a sua morte: o tamanho “exagerado” do seu pénis! Patterson alega que ela morreu depois de acidentalmente se engasgar “com a sua masculinidade” durante um ato de sexo oral consentido.

A autópsia confirmou que Marquinez morreu de facto de asfixia embora levantasse dúvidas que fosse causada pelo tamanho exagerado do pénis do homem. Até porque tal situação (impossibilidade de respirar), se deveria manter por 2 ou 3 minutos, de forma a causar o desfecho fatal. Ainda assim, não foram também detetados sinais de luta e outros especialistas alegaram que a asfixia por causada pelo exagerado do tamanho do pénis também era plausível.  

Durante o julgamento,  advogado de Patterson pediu ao juiz para permitir que o júri visse o tamanho do pénis do seu cliente, mas o juiz recusou. Além disso discutiu-se, na eventualidade de o mostrar, se o pénis devia estar flácido ou ereto…

Julgado o caso, incluindo o testemunho de um especialista sobre o assunto, o júri determinou que a morte foi um acidente e Patterson foi considerado inocente.

Tags dos artigos
Categorias dos artigos
Insólito

Comenta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.