Mulher é presa acusada de obrigar homem a fazer sexo durante 36 horas

mulher viciada sexoUma mulher foi presa em Munique, na Alemanha, sob acusação de obrigar um homem a fazer sexo com ela durante 36 horas. A vítima só conseguiu fugir da tortura quando a mulher adormeceu.

A ninfomaníaca conheceu o sujeito, de 31 anos, quando ela voltava de uma clínica para viciados em sexo. O homem foi convidado a visitar o seu apartamento e ficou preso.

As relações sexuais debilitaram o homem, que foi encontrado na rua pela polícia. Conforme o The Sun, ele estava a chorar e dizia não conseguir andar.

Este não foi o primeiro episódio que envolveu a “criminosa sexual”. Noutra ocasião, quando abordada pela polícia, ela chegou a convidar os homens da lei para uma rapidinha. A bandida foi levada a um hospital para observação psiquiátrica.

Tudo aconteceu em final de abril de 2012.

Brasil: ladrão depara-se com orgia, e é convidado a participar nela

orgiaHá ladrões com sorte. Pelo menos deve ser o que o pedreiro José Pedro Alves, de 29 anos, pensa. Tudo se passou em Carambei, Paraná, Brasil. José, o ladrão, cortou os fios da cerca elétrica e saltou o muro com o objetivo de assaltar uma casa.

Ao chegar próximo da sala ouviu alguns gemidos ofegantes e deparou-se, logo na sala, com dois casais em plena orgia. Apesar da presença do ladrão os casais, entusiasmados, continuaram a orgia.

A.P.L. de 34 anos e a companheira C.S.O. de 31 anos, contaram à polícia, em depoimento, que confundiram o ladrão com um amigo que estava convidado para a festa. “Ele estava a usar um gorro tipo ninja e achei que fosse alguma fantasia do tal amigo que havíamos convidado. Assim que o vimos na sala foi convidado a participar e ele ficou ainda uns 30 minutos com a gente”, contou Rubens, um dos participantes da orgia.

Via:Testosterona

Mulher é presa após a 11ª denúncia falsa de violação

A compulsive liar who made an incredible 11 false claims that she was raped has been jailed for 16 months . Elizabeth Jones, 22, made her first false claim in 2004 when she was aged just 13. And in 2009 she was given a ten month detention and training order for a similar offence. Between 2005 and 2007 she had made eight other allegations, which police investigated, but she she did not face court proceedings. And Jones' latest victim was arrested and quizzed for nine hours before being released without charge. Police launched an investigation after Jones, from Southampton, Hants, instigated a friend to report she had been assaulted. SEE OUR COPY FOR THE FULL STORY!..Pictured: Police mugshot of the convicted Elizabeth Jones who falsely claimed rape agains her 11 times...Pic: Hampshire Constabulary/Solent News.© Solent News & Photo Agency.UK +44 (0) 2380 458800.Na Inglaterra, uma mentirosa compulsiva foi condenada a 16 meses de prisão depois de ter feito a 11ª (sim, a décima primeira) denúncia falsa de violação.

Elizabeth Jones tem 22 anos e desde 2004 (quando tinha 13 anos) que tem vindo a fazer acusações deliberadas. Apenas entre 2005 e 2007 foram oito denúncias.  A mais recente falsa denúncia foi feita apenas porque ela não ía com a cara do suposto acusado. De acordo com a polícia de Southampton, o sujeito passou por “uma terrível experiência emocional”. O rapaz foi preso e interrogado durante nove horas antes de ser libertado por falta de provas.

As informações são do Daily Mail.

Via: PageNotFound

Mulheres preferem homens sem barba

babudoDepois da boa notícia que aqui trouxemos recentemente para os barbudos (Ter barba faz bem à saúde) agora uma má notícia para eles: pesquisadores do Canadá e da Nova Zelândia constataram que as mulheres acham os homens mais atraentes quando eles estão de barba feita.

Eles escolheream 19 homens que não se barbeavam há mais de um mês e fotografaram-nos. E aí colocaram-nos todos para fazer a barba, e fotografaram-nos de novo. Depois, mostraram o antes e o depois para cerca de 200 voluntárias e perguntaram o que elas achavam — e sim, as mulheres de ambos os países disseram que os rostos lisinhos eram mais atraentes.

Mas a barba também tem o seu lado bom. Quando pediram a opinião de outros homens, os pesquisadores ouviram que, com barba, os homens pareciam mais velhos e bravos, mas também mais poderosos — ou seja, a barba pode não seduzir, mas pelo menos impõe respeito.

Em tempo: um dos pesquisadores envolvidos, Paul Vasey, psicólogo da Universidade de Lethbridge (Canadá), diz que usa uma pêra há mais de 20 anos — e, aparentemente, não se abalou com os resultados do próprio estudo.

Ter barba faz bem à saúde

barbaSe alguém ousar falar mal da sua estimada barba, não fique abalado. Ela faz bem à saúde: protege contra alergias e tosse. E ainda funciona como protetor solar.

Quem cuidou de provar os benefícios foi o pessoal da Universidade de Southern Queensland, na Austrália. Os pesquisadores expuseram manequins ao sol – metade ganhou uma bela barba feita de Barba de pau (uma espécie de planta que se apoia em outras para viver), enquanto a outra parte continuou com a cara lisinha –, e depois mediram a quantidade de radiação absorvida por cada um deles. Os com barcbas tiveram quase 35% menos de exposição aos raios UV. Dependendo do tamanho e grossura dos pelos, a barba pode funcionar como um protetor solar com FPS de até índice 21.

Mas há  mais. Dizem os pesquisadores que o bigode serve como uma barreira de proteção contra as bactérias trazidas pela poeira. Em alguns casos, é esse pó todo que desencadeia os sintomas da asma. E se a barba for longa, cobrir parte do pescoço, os ataques de tosse causados por inflamações na garganta podem durar menos tempo. É que a barba deixa a região mais aquecida.
Por último, a sua barba ainda o deixa jovem por mais tempo – pelo menos na região facial. Com o rosto coberto, a pele fica mais protegida contra o vento e permanece hidratada por mais tempo.

Universidade de Londres procura voluntários para usarem cocaína

King's College LondonA King’s College London, importante universidade de Londres, está a recrutar voluntários para usarem cocaína como parte de um estudo científico acerca do efeito da droga sobre o organismo humano, de acordo com reportagem do “Daily Mail”.

O público-alvo: homens de 25 a 40 anos, saudáveis.

O Departamento de Toxicologia Clínica da universidade não aceitará utilizadores recreativos da droga e também vetará a participação de estudantes de medicina e medicina dentária.

Durante a experiência de 120 dias, os participantes não poderão cortar ou pintar o cabelo. Eles receberão “uma razoável compensação financeira”.

Cerca de 700 mil pessoas consumiram cocaína no Reino Unido no passado, fazendo da droga a segunda mais popular no país, atrás do haxixe.

Trabalhar por turnos aumenta em até 41% o risco de doenças cardíacas

HorariosTrabalha por turnos? À noite? É melhor começar a cuidar do seu coração. Uma análise de estudos realizados com mais de 2 milhões de pessoas revelou que funcionários que trabalham em turnos – e principalmente à noite – têm mais probabilidades de sofrer doenças cardíacas ou vasculares.

A pesquisa, publicada pelo British Medical Journal, comparou 34 estudos anteriores e chegou à conclusão de que pessoas que trabalham por turnos têm um risco 23% maior de ter um ataque cardíaco do que uma pessoa que trabalha no chamado horário normal. Para os que cumprem turnos à noite, esse número subiu para os alarmantes 41%.

A explicação, segundo os pesquisadores, está na condição socioeconómico desses trabalhadores e nos comportamentos não muito saudáveis que eles geralmente adotam, como ter um sono irregular e consumir alimentos pouco saudáveis.

Escalas prejudicam a saúde

Além disso, especula-se a relação entre os turnos de trabalho e o cancro. Isso poderia acontecer devido ao relógio biológico e à produção de hormonas, que acabam por ficar instáveis devido à falta de uma rotina.

Para o Dr. Peter Coleman, responsável pela pesquisa relacionada ao cancro, “já é sabido que trabalhar em escalas irregulares faz mal à saúde. Isso altera o relógio biológico e está frequentemente associado a um maior risco de tensão arterial alta, colesterol alto e diabetes, fatores que aumentam as chances de se ter um AVC”.

Estudo revela que 70% das mulheres já fingiram orgasmo

Fingir_OrgasmoA explicação principal é o medo de ferir sentimentos alheios. Uma pesquisa americana mostrou que 68% das mulheres já fingiram orgasmo alguma vez, apenas para não magoar o parceiro.

O estudo da University of Kansas também revelou que os homens são mais sinceros na cama. O percentual masculino que já fingiu prazer no clímax foi de “apenas” 28%. O motivo foi o mesmo para ambos os sexos: a pressão causada pelo orgasmo iminente do parceiro e a vontade de não decepcionar expectativas.

Se o fingimento envolver gritos, um estudo da Leeds University, publicado recentemente, garante que você está se dando bem. Segundo a pesquisa, quem faz mais barulho no quarto tem uma vida sexual melhor.

Gemidos altos melhoram a experiência sexual, diz pesquisa

gritar no orgasmoNove em cada dez mulheres que gemem alto e gritam na cama fazem isso por achar que melhora o sexo, segundo uma pesquisa. Um esmagador índice de 92% de mulheres entrevistadas por pesquisadores da Universidade de Leeds acredita que ser “escandalosa” na cama impulsiona a autoestima do parceiro.

Os homens consultados também acharam mais fácil chegar ao clímax se a parceira gemer e for ofegante na cama. E 87% das mulheres dizem que gemem exatamente para ter esse efeito nos homens. Elas também disseram que sentem mais prazer se sabem que o parceiro está mais empolgado.

Outra pesquisa, realizada por 1171 pessoas pela loja de brinquedos eróticos Lovehoney.co.uk, constatou que as mulheres são mais barulhentas na cama que os homens. Nove em cada dez admitiram fazer mais barulho que o parceiro e sete em cada dez homens concordaram.

A especialista sexual Tracey Cox disse ao The Sun que algumas mulheres podem sentir-se pressionadas a fazer mais barulho para “mostrar” ao parceiro que estão a divertir-se. Aliás, segundo ela, não há nenhuma evidência científica que as mulheres sejam mais “escandalosas” que os homens no sexo.

Cientistas afirmam que flatulência durante vôos tem efeitos positivos

flatulenciaUm grupo de médicos encontrou a resposta para um dilema que incomoda os passageiros aéreos desde que o avião foi inventado: soltar gases durante o voo.

A recomendação dos especialistas é um enfático ‘sim’, para alívio dos passageiros, embora para os tripulantes isso possa representar uma problema que coloca em risco a segurança a bordo.

Quando o gastroenterologista dinamarquês Jacob Rosenberg se viu cercado pelo malcheiroso problema numa viagem de Copenhaga para Tóquio, ele reuniu algumas das mentes mais brilhantes da área para tentar entender a questão.

O estudo realizado a partir disso concluiu que, ao contrário do que se pensa normalmente, o que faz a flatulência aumentar durante as viagens de avião não é o ar quente, e sim as mudanças de pressão no sistema digestivo, que produz mais gás.

O resultado foi uma profunda revisão da literatura científica sobre flatulência, olhando para questões sobre o por que os gases das mulheres têm cheiro pior que os dos homens (sim), o que causa o odor (enxofre) e qual é a média diária de gases eliminada por uma pessoa (10).

O principal, segundo o estudo publicado na Nova Zelândia, é que os passageiros deveriam ignorar o constrangimento e “libertarem-se sem problemas”.

“Segurar gases significa incovenientes para o indivíduo, como desconforto e até dor, inchaço e dispepsia (indigestão), só para listar alguns sintomas abdominais”, revelou o estudo.

“Além disso,os  problemas causados pela concentração para manter o controlo pode resultar em subsequente stress”.

Os autores – cinco gastroenterologistas da Dinamarca e do Reino Unido – disseram que enquanto os passageiros podem ser maltratados pelos outros companheiros de viajem como resultado da sua decisão pessoal de se aliviar, os benefícios para saúde compensam os impactos negativos.

Por outro lado, os pesquisadores disseram que a tripulação enfrenta uma situação de perda total. “Se o piloto segura os gases, todas as consequências previamente mencionadas, incluindo problemas de concentração, podem afetar as suas habilidades para conduzir o avião”, disseram os pesquisadores. “Contudo, se ele soltar os gases, o seu copiloto será afetado pelo odor, o que também reduz a segurança no voo”.

Os autores relataram inúmeras soluções para o problema da flatulência durante voos, incluindo o uso de testes respiratórios de metano para identificar os passageiros flatulentos do vôo, mas rejeitaram a alternativa por ser pouco prática.

Eles notaram, contudo, que o tecido que cobre os assentos da classe económica absorve cerca de 50% dos odores porque são permeáveis ao gás, ao contrário dos assentos de pele da primeira classe.

Os cientistas sugeriram que as companhias aéreas melhorem essas propriedades de absorção dos odores nos assentos e ofereçam cobertores e calças para que os passageiros possam minimizar os efeitos da flatulência nas alturas.

“Nós propomos humildemente que carvão ativado, seja colocado nos assentos, já que é um material capaz de neutralizar o odor”, disseram.

“Além disso, o carvão ativado pode ser usado em calças e cobertores para potencializar o efeito”.

Quem vê muita televisão morre mais cedo

homem ver televisaoComo se não bastasse a acusação de emburrecer as pessoas, a TV tem outro problema, ainda mais grave: pesquisadores da Austrália descobriram que passar muito tempo em frente à televisão pode encurtar os seus anos de vida

Eles acompanharam 8.800 adultos, nenhum com histórico de doenças cardíacas, durante mais de 6 anos. Durante o período, 284 pessoas morreram – a maioria passava mais de 4 horas, diariamente, a ver televisão. Segundo a pesquisa, quem gasta tanto tempo assim com a televisão tem 80% mais chances de morrer por conta de doenças do coração do que os telespectadores menos vorazes, que passam, no máximo, 2 horas por dia. E mais: o risco de morrer por conta de qualquer outro motivo aumenta 46%.

Ou seja, quanto mais tempo em frente à TV, mais perto você fica da morte. E, nesse caso, uma hora a mais faz toda diferença. Cada hora extra aumenta em 11% o risco de morrer – e em 18% a probabilidade de sofrer alguma complicação cardíaca fatal.

Mas a televisão, coitadinha, nem é a maior culpada. As porcarias que você come enquanto a vê também não.  O problema mesmo é ficar tanto tempo sentado. “Quem passa muitas horas em frente à televisão fica muito tempo sentado, e isso, invariavelmente, resulta na ausência de movimento muscular”, explica o pesquisador David Dunstan. Segundo ele, essa falta de movimento pode prejudicar o metabolismo do seu corpo.

Abandonada por ser gorda emagrece 45 quilos e quer noivo de volta

gorda magraHá um ano atrás, Pamela Doyle foi abandonada pelo noivo poucas semanas antes de subir ao altar em Glasgow (Escócia). O motivo: ela estava muito gorda e o noivo desistiu do casamento, que seria realizado num castelo medieval.

Pamela pesava então 108 quilos. Arrasada com o abandono, a escocesa de 31 anos resolveu dar uma resposta à balança. Com dieta e exercícios físicos, ela emagreceu 45 quilos!

A mulher, que trabalha num call center, deixou de lado os hambúrgueres e os dois litros diários de refrigerante.

“Fiquei arrasada (com o abandono), mas foi a coisa que precisava para me incentivar a perder peso”, disse Pamela, em reportagem do “Daily Mail”.

“Eu costumava esconder-me e não saía de casa. Eu só comprava on-line para não ter que encarar as pessoas. Agora eu sinto-me muito bem. Recuperei minha confiança e o meu ex nem acreditou quando me viu”, acrescentou.

Agora, o objetivo de Pamela é reconquistar o noivo.

“O fim do relacionamento foi difícil para mim, mas eu não o culpo (o ex-noivo)”, afirmou Pamela.

Mulher descobre traição no ‘Google Maps’ russo

russoMarina Voinova, de 24 anos, descobriu acidentalmente que o noivo a traíra. E como? Apenas ao consultar o Yandex Maps, um serviço russo semelhante ao Google Maps, para conseguir um endereço.

A jovem, moradora de Perm (Rússia), não teve dúvida de que se tratava do noivo na imagem do programa, ao notar o gesso no braço direito, que Alexandre colocara após uma fratura. Ao ver a cena no computador de Marina, o noivo corou e confessou a traição.

Mas Marina não quis mais saber de Alexandre e terminou o noivado, de acordo com a TV LifeNess.

Cresce a procura por terapia com urina de vaca na Índia

urina vacaO nome é Gomutra Arka. Trata-se de um medicamento com urina de vaca destilada. Sim, medicamento. O xixi do animal sagrado para os indianos tem sido preparado em várias cidades com fins terapêuticos. E a procura pelo Gomutra Arka não para de crescer na Índia, de acordo com o “Times of India”.

“Tomamos conta de mais de 300 vacas de variadas raças. Gomutra Arka se consumido regularmente é eficiente para 109 tipos de doença. Ele faz aumentar a sua imunidade e a expectativa de vida, purifica o sangue, reduz o colesterol e controla a obesidade”, disse Santhosh Kumar, responsável pela produção do medicamento em Goshala.

Segundo Santhosh, mesmo médicos tradicionais já estão a receitar a urina de vaca. A bebida teria propriedades para combater de prisão de ventre o cancro.

Televisão da Noruega transmite, durante 12 horas, apenas imagens de fogueira a arder

fogueiraA emissora NRK, da Noruega, exibiu na última sexta-feira, atravessando o horário nobre, 12 horas de transmissão de uma fogueira! Sim, uma fogueira. E, acredite, a chamada “TV Lenta” é um sucesso no país da Escandinávia.

O programa começou com especialistas a discutir a melhor forma de se fazer uma fogueira com pedaços de madeira. Depois, a estrela absoluta foi a própria chama. Até ao fim.

“Cheguei tarde em casa e liguei a TV para conferir essa coisa estranha. E foi relaxante ter apenas a imagem da chama e o som da madeira a arder”, escreveu um crítico de TV do jornal “Dagbladet”.

A NRK tem-se especializado na “TV Lenta”.

“Eles têm alguns programas esquisitos. A NRK teve um programa ao vivo de seis dias que  mostrava um navio a atravessar os fiordes. Três milhões de pessoas assistiraram. Eles também exibiram uma viagem de combóio completa de Oslo a Bergen”, acrescentou o crítico.