A nova moda das jovens finlandesas: corridas de cavalo…de pau!

em Insólito/Mundo Por

As finlandesas entre os 10 e os 18 anos tem um novo desporto: hobby horsing! Com um cavalo… de pau!

As corridas de cavalos são conhecidas em todo mundo. Mas estas são diferentes.  Diferentes porque são feitas, não só por raparigas (sobretudo entre os 10 e os 18 anos) mas também pelo cavalo utilizado: um cavalo de brincar!

Falamos do hobby horsing, uma modalidade bizarra para quem vê, mas que parece ter efeitos terapêuticos paraquem a pratica.

Há cerca de dez mil jovens a praticarem hobby horsing na Finlândia, segundo dados da BBC. A modalidade combina a mestria dos saltos de equitação, com movimentos de ballet e… um cavalo de brincar!

Essencialmente praticada por meninas, há quem veja neste desporto insólito uma forma de “empoderamento feminino” e de “imaginação sem limites”, embora para quem vê tudo possa parecer simplesmente estranho.

O que é certo é que a modalidade está tão disseminada na Finlândia que até há campeonatos nacionais que imitam a estrutura das competições equestres, com provas de dressage e de saltos de obstáculos, mas com um cavalo de brincar.

E o que é que explica, afinal, o sucesso do desporto? É que, mais do que uma mera prática física e competitiva, está em causa um verdadeiro sentimento de comunidade. Isso fica patente na força que o hobby horsing tem nas redes sociais, onde as jovens praticantes partilham dicas sobre as melhores técnicas e sobre a construção dos cavalos.

A aposta no “do it yourself“ é outra forte vertente da modalidade, sendo que os cavalos são quase todos feitos em casa, por cada uma das suas donas. Há também, quem os venda nas redes sociais por quantias da ordem dos 200 euros.

Alisa Aarniomaki, 20 anos, praticante do insólito desporto

Esta jovem com um ar rock-punk continua, aos 20 anos, a ser adepta do hobby horsing. “Ajuda-me muito poder, ocasionalmente, sair a galopar para a floresta com os meus amigos. De certa forma, equilibra a minha mente”, destaca Alisa, salientando o lado “fortemente terapêutico” da modalidade e notando que a ajudou a lidar com o divórcio dos pais e com o bullying na escola.

Alisa ainda nota que “o hobby horsing tem uma agenda feminista“, sustentando o facto de ser maioritariamente praticado por raparigas. “Não há rapazes a aparecerem e a dizerem o que temos que fazer ou a mandar em todos”, frisa a jovem que está envolvida na organização de competições da modalidade.

Já o secretário geral da Federação Equestre da Finlândia, Fred Sundwall, afiança, citado pelo mesmo site, que o hobby horsing dá às crianças e adolescentes que não têm cavalos uma “oportunidade” de “interagirem com eles fora dos estábulos e das escolas de equitação”.

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

*