Abr 20, 2016
624 Views

O debate sobre a colocação do rolo de papel higiénico é finalmente resolvido

Written by

papelhigienicoPor cima é que é bom. Não, prefiro por baixo. Ou, pela frente é que é bom. Não, por trás. Bem, estamos mesmo a falar de quê? Papel higiénico! Já alguma vez se debruçou sobre a forma correta de colocar o papel higiénico no suporte da casa de banho? Provavelmente não. A próxima folhinha a utilizar deve aparecer por cima do rolo (frente) ou por baixo do rolo (atrás)?

patente-papel-higienicoBem, a única forma de descobrir é voltar até ao seu criador. Uma patente de 22 de dezembro de 1891, registada pelo senhor S. Wheeler, aponta que a colocação correta é para cima (pela frente do rolo).

Concorde-se ou não esta foi a ideia do criador. Aliás, nos hotéis é assim que se encontra colocado. Um dos grandes fabricantes de papel higiénico do Brasil (a Santher), por exemplo, concorda com a posição do criador e diz que é por cima (frente).

Num assunto tão “intimo” as controvérsias teriam que existir. Bastará fazer um inquérito rápido aos seus amigos e familiares para perceber que a resposta se calhar não é tão óbvia. uns verão utilidade de uma forma, outros de outra. Parece, e também curiosamente, que a maioria dos homens defende que é por cima (frente) e as mulheres optam pela posição inversa.

Para ter uma ideia do nível de paixões que a questão pode despertar, na sua obra Minhas Mulheres e Meus Homens, o escritor brasileiro Mário Prata narra o caso – hilariante mas real – de um casal que, após mais de 20 anos de matrimónio, se separou justamente por uma incompatibilidade na posição dos rolos de papel! 😉

Vantagens:

Cima: a ponta livre do papel é facilmente identificável, estando geralmente em repouso sobre o rolo. Mesmo se você tentar deixá-la fora do campo de visão, virada para a parede, o papel vai acabar rolando e ela ficará suspensa, mas pela frente e – ufa! – bem visível!

Mesmo com apenas uma mão livre para fazer o que tem que fazer, a disposição por cima leva vantagem. Após o puxão, o rolo pára quase imediatamente, deixando a ponta livre disponível para o próximo momento de aperto.

Baixo: o papel já precisa estar bem desenrolado para que a ponta apareça por trás do rolo e entre no campo de visão – caso a pessoa se limpe de pé, ele deve estar mais solto ainda. E, se o rolo não estiver desenrolado o suficiente, pior: você terá que apelar ao tato para encontrar a ponta…

Muitas vezes, é preciso rasgar o papel com uma só mão, pois a outra está ocupada a segurar, por exemplo, uma camisa mais comprida ou um vestido. Ao dar o puxão para o lado, o rolo tende a continuar a girar. Resultado: um monte de papel desenrolado no chão.

Article Categories:
Estudos · Insólito

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *